Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Intercâmbio

Estudantes argentinas destacam experiências culturais e pessoais em intercâmbio no IFG

Criado: Segunda, 09 de Julho de 2018, 13h58 | Última atualização em Quinta, 12 de Julho de 2018, 10h35

Lila Acuña e Tamara Herrera retornam à Argentina no sábado, 14, após quatro meses no curso de Licenciatura em Dança do IFG

Tamara Herrera (terceira da esquerda para a direita, em pé) e Lila Acuña (quarta da esquerda para a direita, em pé), com colegas do curso de Licenciatura em Dança do IFG. Foto: Facebook de Lila Acuña
Tamara Herrera (terceira da esquerda para a direita, em pé) e Lila Acuña (quarta da esquerda para a direita, em pé), com colegas do curso de Licenciatura em Dança do IFG. Foto: Facebook de Lila Acuña

Um intercâmbio não só do saber artístico, mas também de uma experiência de vida e de crescimento na carreira. Assim as estudantes argentinas Lila Morena Acuña e Tamara Herrera definem o período em que estiveram frequentando as aulas do curso de Licenciatura em Dança no IFG - Câmpus Aparecida de Goiânia. Lila e Tamara são alunas do curso de Composição Coreográfica da Universidad Nacional de las Artes (UNA) e iniciaram o intercâmbio no IFG em março. Elas retornam para Buenos Aires no sábado, 14 de julho.

“Além de estar com o cabelo um pouco mais comprido, eu hoje sou uma pessoa com muito mais paciência, mais compreensão sobre as diferenças, sabendo que há muitos jeitos de fazer as coisas, com uma experiência de vida e não só de saber artístico e confirmando meu grande amor pela cultura e pelas raízes afro-brasileiras”, define Lila, discorrendo sobre grandes mudanças que vivenciou nos quatro meses de estudo e convivência com estudantes da Licenciatura em Dança do IFG.

A estudante teve atendido seu desejo de conhecer um pouco mais sobre as danças populares brasileiras, que ela considera ter sido uma das coisas mais ricas dentre o que aprendeu e que pode contribuir muito em suas composições de dança e teatro na Argentina. A estudante destaca o frevo, o bumba-meu-boi e a dança do cavalo marinho. Lila conta que ficou também muito feliz por seus colegas terem pedido que ela lhes ensinasse dançar tango. Diante do grande interesse, Lila ministrou uma Oficina de Tango no IFG Aparecida, com aulas abertas à comunidade externa. “Foi uma grande satisfação pra mim poder transferir minhas raízes”, afirmou. Fato de singular importância para Lila Acuña é o desenvolvimento, no IFG, de sua pesquisa acadêmica "Aquello que dota de verdad a la obra artistica y danzada" (O que dá o  tom de verdade à obra artística e de dança). Ela ressalta que, para este trabalho, recebeu no Instituto Federal de Goiás muito apoio da professora Marisa Alves Vento. “Ela me acompanhou de uma maneira incrível em cada momento da minha pesquisa”, ressalta.

 

Valorização da cultura popular

Tamara também considera ter vivido uma experiência de crescimento pessoal e profissional. Ela diz ser muito grata pela possibilidade que teve de ampliar perspectivas ao vivenciar e compartilhar uma outra realidade. Fazendo uma relação entre aspectos sociais e políticos vividos atualmente por Brasil e Argentina, a estudante comenta com satisfação o fato de ambos os cursos, embora imersos em paradigmas de conhecimento hegemônico do mundo ocidental, valorizarem a cultura tradicional de seus povos.  Tamara diz acreditar nesse potencial para passos por empoderamento e emancipação dos povos latino-americanos.  “Esse ponto é uma das questões que eu mais pondero, que geram inquietudes em mim e que elevam a curiosidade e o interesse em estudar raízes e processos étnicos, culturais e estéticos”, ressalta.

Lila e Tamara relatam dificuldades enfrentadas principalmente no início do intercâmbio, com moradia, comunicação, transporte e outras particularidades do processo de adaptação. Lila comenta que o curso de Licenciatura em Dança do IFG ainda é muito novo e que observou a luta que professores e alunos enfrentam para que o curso se estabeleça como expressão artística. Ela elogiou o fato de, mesmo com poucos recursos, os alunos estarem em cena com frequência em variados e criativos projetos.

A coordenadora do curso de Licenciatura em Dança do IFG, professora Rousejanny Ferreira, considera que a troca cultural é interessante para todos os alunos do curso, que têm a oportunidade de conviver com outra cultura, Ela conta que no mês de agosto tem início a segunda etapa da parceria entre o Instituto Federal de Goiás e a Universidad Nacional de las Artes, em que o IFG recebe a coordenadora do curso de Composição Coreográfica da UNA, Patrícia Dorin, para um seminário sobre História e Teoria da Dança, e também levará a professora Giovana Consorte, do curso de Licenciatura em Dança do Instituto Federal de Goiás, para trabalhar com estudantes argentinos.

 

Coordenação de Comunicação Social e Eventos / Câmpus Aparecida de Goiânia

 

Fim do conteúdo da página