Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Homenagem

Sessão do Senado homenageia os 110 anos da Rede Federal

Durante todo o ano, as instituições da Rede Federal, incluindo o Instituto Federal de Goiás, estão realizando campanhas e ações

  • Criado: Terça, 19 de Novembro de 2019, 11h32
  • Última atualização em Segunda, 09 de Dezembro de 2019, 14h30
Reitor do IFG, Jerônimo Rodrigues da Silva, no Senado
Reitor do IFG, Jerônimo Rodrigues da Silva, no Senado

“A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica está a serviço do Brasil e dos brasileiros. É uma política de Estado estruturante, sólida, que traz retornos reais à sociedade e inspiram o mundo”. A declaração foi o ponto alto do discurso do presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Jerônimo Rodrigues da Silva, na Sessão Especial, no Senador Federal, para celebrar os 110 anos do Ensino Técnico e Profissionalizante no Brasil.

A solenidade, realizada nessa segunda-feira, 18/11, no Plenário do Senado Federal, em Brasília, foi convocada em virtude da aprovação do requerimento apresentado pelo senador Paulo Paim (RS). O presidente do Conif aproveitou a oportunidade para relembrar a criação das 19 escolas de aprendizes artífices (23/11/1909), bem como expor dados atualizados da Rede Federal e ressaltar os diferenciais do modelo de ensino público, gratuito e de qualidade, reconhecido nacional e internacionalmente.

“Importantes diferenciais tornam a Rede Federal singular no mundo como a verticalização do ensino, a pesquisa aplicada, a extensão tecnológica, a inovação, a sustentabilidade, a internacionalização, o empreendedorismo, a iniciação científica e a interiorização. Essas características fazem da rede um agente propulsor importante para o desenvolvimento socioeconômico local e regional, pois as instituições causam impactos positivos na economia e na valorização dos arranjos produtivos, a partir projetos e produções específicos a cada realidade”, afirmou Jerônimo.

O senador Paulo Paim, em seu pronunciamento, defendeu mais recursos para a continuidade do trabalho das instituições responsáveis pela modalidade de ensino que atende, principalmente, às demandas dos jovens brasileiros que buscam uma vaga no mercado de trabalho. “Entendo que o fortalecimento da educação profissional e tecnológica tem como eixo central a própria redefinição do papel do Estado na expansão da oferta da educação profissional para os jovens deste País. Como parlamentar e preocupado com as questões sociais, penso que tal processo deva necessariamente tratar a política de educação profissional e tecnológica como uma política pública que precisa contar com recursos próprios”, declarou o congressista.

Também proferiram declarações os representantes do Ministério da Educação (MEC), da Confederação Nacional da Indústria (CNI), da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Confederação Nacional da Agricultura (CNA), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SEST/SENAT) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop).

Conheça um pouquinho dessa história de 110 anos do IFG.

Fonte: Assessoria de Comunicação / Conif

Fim do conteúdo da página