Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
cooperação

Naspo passa a fazer parte de rede de pesquisa internacional

Criado: Sábado, 03 de Março de 2018, 09h49 | Última atualização em Sábado, 03 de Março de 2018, 10h47

O Núcleo vai realizar estudos sobre o solo, água, a contaminação de nascentes e outras temáticas

Na última quarta-feira,28 de fevereiro, pesquisadores e bolsistas do Núcleo de Agroecologia e Sistemas Produtivos Orgânicos (Naspo) do Câmpus Valparaíso do Instituto Federal de Goiás (IFG) participaram, no Câmpus Anápolis, da primeira reunião de trabalho para a constituição da Rede de Pesquisas entre Américas e União Europeia. O encontro reuniu cerca de 70 pessoas, dentre alunos, gerentes de pesquisas, líderes de Núcleos de Pesquisas e professores/pesquisadores do IFG, das universidades federais de Goiás (UFG), de Brasília (UnB), do Paraná (UFPR) e do Mato Grosso (UFMT), além da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e Unievangélica.


O Naspo faz agora parte desta Rede de Pesquisas. Uma das pesquisadora do Núcleo de Agroecologia e Sistemas Produtivos Orgânicos, a professora Danielle Pereira, explica sobre os trabalhos que serão desenvolvidos por meio desta integração: "O Naspo vai ficar mais precisamente envolvido com estudos relacionados ao solo, água, a contaminação de nascentes, a resistência por parte das comunidades agroecológicas a utilização de agrotóxicos e vai estudar a questão da mulher no campo".

 

Saiba mais sobre o Naspo aqui.

 


Sobre a primeira reunião da constituição rede
A condução dos trabalhos foi feita pelo professor Joaquín Paredes-Labra, da Universidade Autônoma de Madri (UAM), e pelo professor Alessandro Oliveira, que é gerente de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão do Câmpus Anápolis e coordenador geral da rede.
A rede em constituição resulta da sinergia de esforços entre pesquisadores do Brasil, Uruguai, México, Colômbia, Espanha e Portugal e possui como objetivos principais a informação e constituição de posturas frente aos riscos inerentes à utilização e ao consumo de alimentos com agrotóxicos.

 


Origem da Rede Internacional de Pesquisa
A proposta de constituição da Rede de Pesquisas entre Américas e União Europeia foi iniciada há cerca de quatro anos com agricultores familiares no entorno de Anápolis. Como os pesquisadores em diálogo identificaram situações semelhantes de exposição em seus países, decidiram pela intervenção através de uma proposta integrada de trabalho. Nesta, existem intenções de elaboração de tecnologias e materiais didáticos para a informação, desenvolvimento de técnicas de biodegradação de agrotóxicos e o desenvolvimento de formas mais sustentáveis e seguras de produção.

 

A pesquisa-ação possui natureza multi e interdisciplinar e visa à aproximação entre pesquisadores e professores em formação com as comunidades de cada País. No decorrer das atividades, todos os dados e ações serão compartilhados em plataforma construída e gerenciada pelo professor Joaquín Paredes – Labra que está no Brasil especialmente para os primeiros trabalhos da rede em questão (saiba mais aqui).

 


Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Valparaíso com informações da Comunicação Câmpus Anápolis

Fim do conteúdo da página