Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
EMPREENDEDORISMO

Projeto Células Empreendedoras é lançado no IFG

Criado: Quarta, 11 de Abril de 2018, 17h09 | Última atualização em Quarta, 11 de Abril de 2018, 17h13

Metodologia é de competição entre equipes de estudantes para escolha das melhores soluções para os problemas apresentados

Professor Genésio Gomes apresentou o Projeto Células Empreendedoras, que ele idealizou
Professor Genésio Gomes apresentou o Projeto Células Empreendedoras, que ele idealizou

O Instituto Federal de Goiás (IFG) foi palco ontem, 10 de abril, do lançamento oficial do Projeto Células Empreendedoras, coordenado pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), do Ministério da Educação. Inicialmente, os Institutos Federais de Goiás, do Rio de Janeiro, da Paraíba, do Paraná, de Pernambuco e de Rondônia participam do piloto, que no futuro será estendido a toda Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

 

O Projeto Células Empreendedoras é uma metodologia de competição entre equipes de estudantes, que vão trabalhar no desenvolvimento de soluções para problemas sociais das comunidades onde os Institutos Federais têm atuação. Cada Instituto Federal vai competir, inicialmente, com 150 alunos, que poderão ou não ser orientados pelos 50 servidores que se tornarão educadores empreendedores, formados para atuar no projeto.

 

As inscrições foram abertas ontem, tanto para os alunos quanto para os servidores interessados, e podem ser feitas na página do projeto www.celulasempreendedorasif.com.br. No IFG, as 150 vagas destinadas aos estudantes foram distribuídas entre todos os câmpus, sendo que o Câmpus Goiânia ficou com o maior número, por ser a unidade com maior número de alunos. No ato da inscrição, o estudante já será identificado por câmpus.

 

Não há uma data específica para o fechamento das inscrições, mas ontem mesmo as vagas de alguns câmpus já estavam todas preenchidas. Por isso, a recomendação dos coordenadores é para que os interessados façam suas inscrições o mais rapidamente possível. O critério para escolha dos participantes é a ordem de inscrição. Os inscritos vão receber futuramente um pedido de confirmação de sua participação. Se houver desistências, serão chamados os que ficarem numa lista de espera.

 

Ações

O Projeto Células Empreendedoras terá várias ações. A primeira delas é a formação dos educadores empreendedores que, no IFG, será realizada dia 6 de junho. A segunda ação, que envolverá mais participantes, é a maratona, quando as equipes de estudantes serão formadas, receberão os problemas a serem resolvidos e apresentarão suas soluções. Tudo isso em quatro dias de atividades. Os cinco melhores projetos continuarão na competição. No IFG, a maratona será realizada de 12 a 15 de junho.

 

As equipes selecionadas na maratona seguirão para a etapa seguinte que é o living lab (laboratório vivo), a ser realizado em agosto. Nesta ação, com duração de 30 dias, as equipes aprenderão a validar seus projetos junto à sociedade. Dos 30 projetos (5 de cada instituto), dez serão selecionadas para a grande final, quando os projetos serão apresentados a investidores e serão selecionados os três melhores. As três equipes vencedoras vão ganhar uma viagem a Recife, capital de Pernambuco, para conhecer o Porto Digital.

 

Desafio

Ontem à noite, durante o lançamento do Projeto Células Empreendedoras, realizado no Teatro do IFG - Câmpus Goiânia, dezenas de alunos já demonstraram interesse na competição. Eles ficaram visivelmente entusiasmados com a palestra do idealizador do projeto, professor Genésio Gomes, que é do Instituto Federal de Pernambuco e um dos embaixadores da Campus Party, a maior feira de tecnologia, com competição, realizada no Brasil.
Genésio questionou o modelo do ensino superior em vigor no Brasil e disse que a formação por profissões precisa ser superada. Segundo ele, as carreiras estão fadadas a acabarem e terá sucesso quem tiver projetos para solucionar problemas. “Daqui a 50 anos, 50% da população vai estar desempregada. Mas o desemprego não é problema; é solução. O desempregado vai ser empreendedor”, disse.

 

Também empolgou a plateia de estudantes o empreendedor social Hamilton Henrique, criador da startup Saladorama, criada para popularizar a alimentação saudável. Hamilton contou sua experiência de identificar um problema social (a baixa qualidade da alimentação da população de baixa renda e o alto custo da alimentação saudável) e de buscar uma solução. Ele criou um serviço de entrega de saladas, feitas por pessoas das comunidades.

 

Solenidade

A solenidade de lançamento do Projeto Células Empreendedoras foi presidida pelo professor Écio Naves, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação do IFG, que representou o reitor Jerônimo Rodrigues da Silva. Compuseram a mesa o professor Daniel Feraz, coordenador-geral de Infraestrutura e Inovação da Setec; professor Gutemberg Ribeiro, diretor da Agência de Inovação do IFPR; Maxwell Amaral, do IFPB; a diretora-geral do Câmpus Goiânia, Maria de Lourdes Magalhães; e a coordenadora do Projeto Células no IFG, professora Lilian Páscoa, representando o coordenador-geral do projeto, Wesley Pacheco Calixto, que é também coordenador do Centro de Inovação Tecnologia (Cite) do IFG.

 

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

Fim do conteúdo da página